O que Jane Hawking tem a nos ensinar sobre perseverança.

O que Jane Hawking tem a nos ensinar sobre perseverança.

Recentemente vi o filme “A teoria de tudo” que conta a história de Stephen Hawking – considerado um gênio da física – e sua ex-esposa, Jane Hawking.

A esta altura você já deve saber que Stephen sofre de uma doença que atrofiou seus músculos e paralisou seus movimentos. Mais tarde veio a perder a fala devido a uma traqueotomia para salvar-lhe de uma grave pneumonia que o deixou entre a vida e a morte.

Jane casou-se com Stephen mesmo sabendo que talvez ele não iria viver por muito tempo (era o que se acreditava naquela época) provando seu amor para com ele. E ao longo dos 30 anos em que estiveram casados (lembrando que continuam amigos apesar de divorciados), teve que enfrentar com paciência e dedicação várias adversidades, e tudo isso, praticamente sozinha, considerando o problema de saúde do seu cônjuge.

Jane Hawking cuidava de seu marido, levando-o para a universidade, trocando sua roupa, lhe dando comida e todas as tarefas corriqueiras que seriam suficientes para preencher todo o seu tempo. E tudo isso se repetia quando cuidava também dos seus 3 filhos e da casa. Ela fez isso praticamente sozinha durante anos e só depois solicitou ajuda de uma enfermeira. Esta mulher batalhadora também encontrava tempo para cantar no coral da igreja e concluir seus estudos, tendo obtido um PhD em Literatura na Universidade de Westfield em Londres. Depois de tudo isso escreveu 2 livros, biografias de sua vida com Stephen.

Com ou sem Stephen, Jane Hawking nos mostra que não veio ao mundo à passeio. Ela tinha todas as razões para se chatear e reclamar de tantas dificuldades, mas ela simplesmente passou por tudo com amor, buscando sempre retirar algum aprendizado e transformando o que era duro, trabalhoso e complicado em uma bela história de vida. Claro que em alguns momentos deve ter perdido a paciência, gritado, chorado, mas isso não a paralisou. Ela é mulher por trás de Stephen. Não sabemos se sem todo este amor, cuidado, paciência e cautela provido por ela, ele teria chegado hoje aos 73 anos.

Hawking

É aquela velha história de quem quer fazer a diferença: “Se a vida lhe der limões, faça uma limonada.” A vida pode ser amarga, ruim, mas nós temos plena capacidade de transformá-la no que quisermos. Stephen, por um lado, mesmo tendo todo o seu corpo paralisado, nunca deixou que sua mente fosse paralisada por pensamentos fracassados. Quantos de nós em plena saúde física perambulamos por aí com a mente paralisada? Quantos de nós reclamamos que não temos tempo, condições, ferramentas para mudar de vida e adiamos a nossa felicidade? Quantos de nós, usando como desculpas as nossas próprias frustrações, magoamos pessoas que deveríamos amar, adotamos vícios autodestrutivos e afundamos ainda mais nossa vida?

Jane nos mostra que, por mais que as circunstâncias não sejam aquilo que desejamos, é possível transformar a vida que vivemos naquilo que queremos para nós mesmos. Tudo depende da forma como você encara as coisas. Se você se encara como o protagonista de sua própria história – Jane escreveu a biografia da história que ela mesma construiu – ou se você encara a si mesmo como um mero expectador de sua própria vida, e é isso o que você será caso pense assim, deixando que ela seja escrita não por você, mas por seu chefe, sua família, seus governantes, sua doença, etc.

Se o seu sonho é passar num concurso, tudo o que posso dizer é: vá em frente e faça! Você pode ter dificuldades, mas só será um “coitadinho” se quiser ser. Tire as amarras daquilo que te impede. Assistir a um gol nunca será tão bom quanto fazê-lo. Por isso, entre em campo para vencer!

Ebook: As 8 atitudes vencedoras de concurseiros aprovados!

Coloque seu email abaixo para receber gratuitamente o Ebook

Receber Ebook